ABC Virtual
Faça Login ou  Cadastre sua empresa
 
 
Você está em Inicial > Notícias > Setecidades > Volta da Estação Pirelli requer desapropriação
Volta da Estação Pirelli requer desapropriação

Cadastrada em 20/05/2013 08:21:16
Por Cadu Proieti - Diário do Grande ABC
Comentar
  Foto por Divulgação - Diário Online
A falta de acesso pode emperrar a reabertura da Estação Pirelli da CPTM (Companhia de Trens Metropolitanos) na Vila Homero Thon, em Santo André. A parada, que foi desativada em 2006 e atendia somente funcionários da multinacional italiana, fica rodeada por empresas e terrenos particulares (veja na arte abaixo). Com isso, atualmente não é possível chegar até o trecho da linha férrea onde os passageiros pegavam o trem.

A solução é desapropriar parte desses espaços privados e, assim, criar acesso à parada. "Será necessária negociação com as empresas do local. Não sei por onde será a entrada, mas é preciso criar acesso para chegar à estrada de ferro. Hoje, isso não existe. No passado, era praticamente um ponto privado. Agora envolve mudança muito maior", disse o secretário de Planejamento Urbano e Habitação do município, Paulo Piagentini.

No início do mês, o secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, esteve no Consórcio Intermunicipal e prometeu a reabertura da parada, mas não estipulou data. Segundo o titular da Pasta, a estação seria beneficiada pela modernização da Linha 10-Turquesa, processo que a CPTM está prestes a iniciar com a reforma de todas as estações do trecho ferroviário que atende o Grande ABC.

A companhia foi questionada sobre a necessidade de desapropriação. No entanto, informou que dados sobre a criação de estação no local da antiga parada, como fluxo de usuários e investimentos, só serão conhecidos após o término de estudos sobre a viabilidade de implementação da linha de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) que ligará Santo André a Guarulhos, partindo da Estação Pirelli.

De acordo com a estatal, atualmente essa linha de transporte de média capacidade está em fase de análise para consolidação da tecnologia e adequação ao projeto funcional, desenvolvido pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos. Após esse processo, a CPTM informou que contratará os projetos básico e executivo. Porém, os prazos para a conclusão de todo o projeto não foram informados.

A Prefeitura afirmou que irá realizar pesquisa de origem e destino em toda a cidade. Segundo a administração municipal, o levantamento será importante para redefinir as linhas municipais e criar integrações com os novos modais de transporte coletivo que o município passará a ter, como Estação Pirelli. O Executivo acredita que, assim, grande parte dos usuários que tem como destino São Paulo, por meio da CPTM, não precisará mais se descolar ao Centro (Estação Celso Daniel), o que ajudará a diminuir congestionamentos e o tempo de viagem dos passageiros.

"Se for atender muita gente, em local que terá estacionamento e acesso aos passageiros, passa a ser válido o investimento (em desapropriação). Hoje, o acesso do Grande ABC a São Paulo é muito complicado. Tudo o que for feito para melhorar o acesso ao transporte público é importante", comentou o professor de Engenharia Civil e Urbanismo da FEI Luiz Sérgio Coelho.